Revista de Turismo do Nordeste

, / 0

Confira a matéria especial sobre o Fortal da última edição da VemTambém!

SHARE

Braços abertos para a Folia!

Em seus 25 anos de evento, o Fortal ajudou a redesenhar o mapa de turismo do Brasil e deu a Fortaleza o título de capital oficial da folia. O que nasceu como festa é hoje um dos maiores festivais do país, e movimenta capital financeiro e social na cidade do sol.

Foram muitas transformações até o evento chegar onde está hoje. Nesse ¼ de século, o Fortal passou pelas adaptações de nascer em um local aberto e depois ser realizado em um circuito indoor, pelo aumento no número de atrações e visitantes, pela transformação dos ritmos que conduzem os trios e pelos avanços que Fortaleza viveu neste período.

Lá atrás, nos anos 90, a ideia foi trazer para nós o boom que acontecia no Axé. Hoje, estilos de música tão diferentes quanto o sertanejo e o forró dividem espaço com o ritmo baiano que está presente até hoje.

As mudanças também se aplicaram à medida que o evento foi crescendo. Se no primeiro ano o Fortal contou com apenas um trio, para 2016, o evento já tem confirmados oito. Entre esses, Ivete Sangalo, Bel Marques e Cláudia Leitte representam uma parte expressiva da festa. No meio dessa pluralidade toda, o corredor da folia também abre espaço para a energia dos nomes de frente do sertanejo e forró, como Jorge e Mateus, Wesley Safadão, Simone e Simaria, e Gabriel Diniz.

Toda essa metamorfose fortaleceu a ideia de que somos uma cidade cosmopolita, preparada para receber e agradar os mais diversos públicos tanto no entretenimento quanto no que diz respeito à logística de receber turistas.

Todo o trade turístico se fortaleceu à medida que o Fortal se tornou, além de uma grande festa, uma excelente oportunidade para negócios, gerando renda à capital cearense.

Para entender um pouco mais da força deste evento para o turismo cearense, conversamos com Eliseu Barros, Presidente da ABIH no Ceará, e Colombo Cialdini, Diretor da Carnailha Produções e um dos fundadores do Fortal que responderam algumas perguntas sobre o evento e as oportunidades que circulam no turismo de entretenimento do nosso Estado!

VemTambém – O que o Fortal representa, hoje, para o turismo da capital?

Eliseu – Fortaleza tem, hoje, alguns eventos e ocasiões que representam, tanto para o sistema hoteleiro quanto para os demais setores, o que chamamos de “altíssima estação”. Devido toda a mídia, todo o movimento que ocorre durante a semana do Fortal, o evento representa, para o setor hoteleiro, lotação máxima. É importante, também, lembrar que o evento tem alcance nacional e internacional, e isso reflete diretamente em como nosso Estado é visto para os demais. Por isso, o Fortal é sem dúvidas um dos pilares do turismo da nossa capital.

V.T. – Como a imagem do nosso trade está construída para esse turista tão exigente que é o turista que busca lazer e entretenimento?

Eliseu – Hoje, nossa imagem está bastante solidificada por dois motivos em especial. Fortaleza foi sede, com louvor, da Copa do Mundo e da reunião do BRICS. Esses dois acontecimentos de nível internacional provaram que nossos setores hoteleiro e de serviço estão prontos para receber bem qualquer turista.

V.T. – Além do Fortal, você consegue citar um evento que foi divisor de águas para o turismo de entretenimento?

Eliseu – Sem dúvidas o nosso réveillon é um caso à parte. Principalmente porque temos em Fortaleza alguns dos réveillons fechados mais importantes do país. Exatamente 25 anos atrás, na época da virada, nossos hotéis tinham lotação máxima de 35% para o período. Para exemplificar, o Marina Park completa 24 anos nesse mês, e, desde então, a ocupação nesse período já chegou a mais de 90%.

V.T. – Na sua opinião, quais são os pontos que ainda precisam ser trabalhados para que tenhamos um turismo com mais qualidade ainda?

Eliseu – Eu acredito que ainda temos que caminhar no sentido da qualificação dos nossos profissionais em todos os setores, até porque isso é um ponto que vive em constante renovação. É necessário estarmos sempre atentos às necessidades desse turista que tem cada vez mais opções, para que ele continue escolhendo nossa cidade como destino.

Revista VemTambém: Hoje o Fortal é um dos eventos que definem o turismo no Ceará e no Brasil, como vocês se sentem em relação a isso?

Colombo Cialdini: É uma felicidade muito grande poder contribuir com o crescimento expressivo do nosso estado, com geração de renda, emprego e tantas outras coisas.

V.T.: O que o Fortal representa hoje para o Ceará em termos de números.

C.C.: O Fortal gera hoje 40 mil empregos diretos e indiretos no total. Além disso, o período do evento representa a maior ocupação de hotéis no ano, além de significar para a cidade, nos dias em que acontece, 13% do PIB da capital. Nós movimentamos, em 4 dias, meio milhão de pessoas que consomem todos os serviços da cidade, do táxi ao hotel passando por restaurantes e outros pontos de turismo.

V.T.: O festival começou com apenas um bloco e se apoiando no boom do axé, mas hoje os mais variados ritmos se encontram em um só lugar. Como vocês tiveram essa ideia e tomaram a decisão de ampliar o leque musical do evento?

C.C.: 25 anos é muito tempo pra ficar parado. Nesse tempo todo, nosso maior mote é a renovação. Sempre temos espaço para as transformações boas. Hoje encaramos o Fortal como um acontecimento extremamente plural, que reúne as mais variadas tribos e gostos numa celebração de respeito e qualidade de lazer.

V.T.: A que você atribui o sucesso que o Fortal se tornou?

C.C.: Uma série de coisas, na verdade. Uma das primeiras ações que fizeram a diferença no nosso crescimento foi a criação da cidade Fortal. O evento é um grande e completo sistema que funciona em favor de quem vai se divertir. Sempre priorizamos pela segurança, pelo bem-estar físico e material de nossos parceiros e foliões e isso faz toda a diferença.

V.T.: Quais são os projetos futuros e que pontos o Fortal ainda pode alcançar?

Nosso maior projeto é sempre fazer a melhor festa da vida de nossos foliões. Queremos continuar criando empregos, gerando movimento na economia e no comércio do estado. O potencial do Fortal é imensurável, com as inovações e melhoras ano a ano o evento só tem a crescer e alcançar mais ainda o patamar internacional. Isso implica não só no nosso crescimento como festival, mas como cidade e estado preparados para realizar um dos maiores festivais de música do Brasil e do mundo!

PASSWORD RESET

LOG IN